Releases recebidos
São Paulo, 14 de Julho de 2020

 

Ana Maria Braga traz receitas para a 'nova' Festa Junina

5 comidinhas típicas e inéditas para animar o arraiá 

          Ana Maria Braga é fã de uma Festa Junina. Todos os anos ela faz um arraiá pra lá de bão na sua fazenda no interior de São Paulo. Mas este ano, com o isolamento social, a missa, a fogueira e estandarte para garantir proteção e fartura, não vão acontecer.

          “Com esse novo normal, a festa junina foi para dentro de casa. Para quem gosta da tradição e de cozinhar, escolhi 5 receitas inéditas, fáceis e muito saborosas para serem feitas em família neste mês dos santos”, diz a apresentadora.

          As opções são o Arroz-doce, com sabor especial de maracujá. Depois tem Curau de tapioca na massa folhada. O fubá marca presença num petisco especial. E numa Festa Junina não pode faltar paçoca, que marca presença na canjica e no brigadeiro.

 

Arroz-doce com maracujá

Nível Fácil
Preparo em 30min
Rende 8 porções

Ingredientes
1 xícara (chá) de arroz
3 xícaras (chá) de água
1 xícara (chá) de suco de maracujá concentrado
1 xícara (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de leite
Canela em pó para polvilhar

Modo de preparo
Atenção: Esta receita requer 4 horas para gelar.

Junte o arroz com 2 xícaras (chá) da água e leve ao fogo baixo, mexendo às vezes, por 15 minutos ou até o arroz ficar macio.
À parte, misture o suco de maracujá com o açúcar e o restante da água, despeje na panela com o arroz e mexa. Agregue o leite e cozinhe em fogo baixo, mexendo às vezes, por 8 a 10 minutos ou até ficar cremoso.
Transfira para uma tigela, cubra com filme plástico, deixe amornar e leve à geladeira por, no mínimo, 4 horas.
Sirva o arroz-doce gelado, polvilhado com canela em pó a gosto.

Curau de tapioca na massa folhada

Nível Fácil
Preparo em 30min
Rende 20 porções

Ingredientes
1 lata de milho verde em conserva escorrido (200 g)
½ xícara (chá) do líquido da conserva do milho (120 ml)
2 xícaras (chá) de leite (480 ml)
¾ de xícara (chá) de açúcar
1 vidro de leite de coco (200 ml)
¾ de xícara (chá) de tapioca granulada (150 g)
20 vol-au-vents assados (500 g)
Açúcar de confeiteiro e canela em pó para polvilhar

Modo de preparo
Atenção: Esta receita requer cerca de 1 hora de geladeira.

No liquidificador, bata o milho escorrido com o líquido da conserva e o leite. Coe e descarte os sólidos.
Despeje o líquido coado em uma panela, adicione o açúcar e o leite de coco e leve ao fogo médio, mexendo sempre, até ferver.
Fora do fogo, acrescente a tapioca granulada e misture bem. Tampe e deixe em repouso por 5 minutos. Misture novamente. Repita o procedimento mais 3 ou 4 vezes, até o creme amornar e engrossar.
Transfira para uma tigela, cubra com filme plástico e leve para gelar por cerca de 1 hora.
Recheie os vol-au-vents com o curau e sirva polvilhados com açúcar de confeiteiro e canela em pó. 

Petisco especial de fubá

Nível Fácil
Preparo em 1h
Rende 6 porções

Ingredientes
4 ovos
1 cebola grande bem picada
100 g de bacon picadinho
50 g de parmesão ralado
2 colheres (sopa) de salsinha picada
Sal e páprica picante
1 e ¾ de xícara (chá) de fubá pré-cozido (270 g)
160 g de muçarela em cubinhos de 1 cm
Para empanar e fritar
2 ovos ligeiramente batidos
1 xícara (chá) de farinha de rosca
Óleo

Modo de preparo
Bata ligeiramente os ovos com a cebola, o bacon, o parmesão e a salsinha e tempere com sal e páprica a gosto.
Aos poucos, vá juntando o fubá, misturando sempre, até a massa dar liga e ficar maleável (a quantidade de fubá pode variar de acordo com o tamanho dos ovos).

Modelagem
Com pequenas porções da massa, faça bolinhas e achate-as para obter pequenos discos. Coloque no centro um cubinho de muçarela e feche no formato de bolinho (a massa rende 36 unidades).
Passe os bolinhos pelo ovo batido e, depois, pela farinha de rosca.
Frite em óleo quente abundante até dourarem. Deixe escorrer sobre papel absorvente e sirva quentes ou mornos.

Brigadeiro de paçoca recheado com brigadeiro meio amargo

Nível Fácil
Preparo em 1h10min
Rende 30 porções

Ingredientes
Brigadeiro de paçoca
1 lata de leite condensado (395 g)
6 paçocas esfareladas (120 g)
1 colher (sopa) de manteiga (15 g)

Brigadeiro meio amargo
1 lata de leite condensado (395 g)
2 colheres (sopa) cheias de cacau em pó (30 g)
1 colher (sopa) de manteiga (15 g)

Para envolver
10 paçocas esfareladas (200 g)

Modo de preparo

Brigadeiro de paçoca
Misture os ingredientes em panela de fundo grosso e leve ao fogo médio, mexendo sem parar, por cerca de 15 minutos ou até se soltar do fundo (ponto de enrolar). Transfira para um prato untado com manteiga, cubra com filme plástico rente ao doce e deixe esfriar.

Brigadeiro meio amargo
Leve os ingredientes ao fogo médio, em panela de fundo grosso, e cozinhe, mexendo sempre, até se soltar do fundo. Transfira para um prato untado com manteiga, cubra com filme plástico rente ao doce e deixe esfriar.

Modelagem
Com as mãos untadas com manteiga (ou usando luvas de vinil), modele bolinhas do brigadeiro meio amargo (cerca de 10 g cada) e reserve.
Molde bolinhas com o brigadeiro de paçoca (cerca de 15 g cada), abra na palma da mão e recheie com um brigadeiro meio amargo. Feche bem, volte a enrolar, envolva na paçoca e disponha em forminhas apropriadas. 

Canjica com castanha-do-pará e paçoca

Nível Fácil
Preparo em 30min
Rende 10 porções

Ingredientes
2 xícaras (chá) de milho branco para canjica (deixe de molho em água por 8 horas)
1 litro de água
½ xícara (chá) de açúcar
1 lata de leite condensado
3 e ½ xícaras (chá) de leite
100 g de castanhas-do-pará torradas e picadas grosseiramente
50 g de coco seco ralado
4 paçocas de amendoim (80 g) esfareladas

Modo de preparo
Atenção: Esta receita requer 8 horas para demolhar o milho.
Escorra e cozinhe o milho na panela de pressão com a água por 30 minutos, marcados após o início do apito.
Espere a pressão se esgotar naturalmente para abrir a panela, escorra (descarte a água) e mantenha a canjica na panela.
Reserve a paçoca e acrescente os demais ingredientes à panela.
Cozinhe, sem tampar e mexendo de vez em quando, por cerca de 15 minutos ou até os grãos ficarem bem macios e o caldo, espesso. Fora do fogo, misture a paçoca. Sirva morna ou fria.

 

Dia Nacional do Vinho: como apreciar o seu tipo favorito!

Curta o lado suave da data explorando a versatilidade dos vinhos de mesa brasileiros em casa com as dicas da marca Dom Bosco

O melhor vinho é aquele que você gosta, dizem os especialistas no assunto. Então, que tal comemorar o Dia Nacional do Vinho, no dia 7 de junho, em casa, curtindo o lado suave do momento e com o seu rótulo favorito? Dom Bosco, uma das marcas da categoria mais vendidas do país e na mesa dos brasileiros desde 1937, preparou uma série de dicas para compartilhar em família e aproveitar todo o sabor e a versatilidade dos vinhos de mesa, o tipo preferido de três entre quatro brasileiros, segundo os dados do Instituto Brasileiro do Vinho. 

Produzidos com uvas americanas na Serra Gaúcha, especialmente Isabel e Bordô, os vinhos de mesa, como os da linha Dom Bosco, agradam os consumidores pelo sabor fresco e frutado. Trata-se de um tipo de vinho sem muitas regras, que pode ser apreciado em taças e canecos (do jeito que o ‘nonno’ e a ‘nonna’ faziam), quente ou frio, e vai bem na refeição do dia a dia e no preparo de algumas sobremesas tradicionais da mãe e drinks.

Veja como desfrutar ao máximo da bebida aproveitando cada momento:

Puro e na temperatura certa: o melhor sabor do vinho de alta qualidade pode ser sentido quando está na temperatura ideal. No caso do vinho tinto, a recomendação é apreciar a temperatura de 16p C. Enquanto o branco deve ser servido a 10 pC.

Quente: O vinho de mesa é fundamental no preparo da tradicional bebida de inverno e das festas juninas. Rótulos de sabor e aroma mais intensos de fruta, como Dom Bosco Bordô, casa bem com especiarias e deixa o vinho quente mais saboroso. 

Frutas para variar: este tipo de vinho combina perfeitamente com frutas da estação. Dá para preparar uma bebida refrescante com rodelas de laranja, pedaços de manga, abacaxi, maçã, etc e vinho branco ou tinto, e até uma caipivinho, substituindo a cachaça por vinho.    

Drinks descolados: quem cansou de tomar vinho puro só na tacinha pode variar preparando coquetéis variados, como a popularíssima batida, e ainda um drink com refrigerante, tônica, sorvete ou licor de sua preferência.     

Sobremesas da vovó: assim como o vinho quente, algumas sobremesas têm o vinho de mesa como ingrediente principal. É o caso do sagu de vinho. Outras receitas, como pera ao vinho, gelatina, pavês e calda para bolo e sorvete ficam melhores com o rótulo mais suave.

Aproveite até a última dose: usar vinho para marinar carnes e temperar comida é uma das mais valiosas dicas culinárias da família. Portanto, aproveite aquele restinho de vinho para dar um realce de sabor aos ensopados, carne seca, assados, nos pratos à base de pescados, fricassês e outras receitas da mamãe e da vovó. Vale até congelar o vinho em gaveta de gelo para usar depois.

Confira outras dicas do Vinho Dom Bosco no Facebook e Instagram/@vinhodombosco e poste o seu jeito de apreciar o vinho marcando com #vinhodombosco.

CRS BRANDS desde 1926 - A empresa, que se destaca entre as mais expressivas indústrias brasileiras de bebidas alcoólicas da América Latina, é também detentora de diversas marcas. Além da Sidra e Frizée Cereser e dos tradicionais vinhos Dom Bosco e Massimiliano, a empresa produz a Chuva de Prata, o vermouth Cortezano, vodkas Kadov e Roskoff, aguardente 88, aperitivo com malte whisky Chanceler, e os espumantes Georges Aubert. Seus produtos são exportados para mais de 40 países na América Latina, África e Ásia. Saiba mais em www.crsbrands.com.br

Álvaro Camilo
Celso Fernandes
Celso Russomanno
Cloves Reis
Danielle Curia
Fernando Jorge
Germano Augusto
Lair Ribeiro
Mario Covas Neto
Ovadia Saadia
Padre Ezequiel Dal Pozzo
Paiva Netto
Paulo Panayotis
Roberto Maia
Salani
Vito Zanella
Zilda Brandão